O movimento orgânico surgiu na primeira metade do século XX, na Europa, priorizando a adubação com matéria orgânica e de práticas sustentáveis para os processos biológicos.

Os alimentos orgânicos são aqueles que no seu processo de produção são livres de antibióticos, pesticidas, fungicidas e outros agrotóxicos. A produção orgânica além de respeitar o meio ambiente visa a qualidade dos alimento. Seu corpo recebe uma refeição saudável de verdade, e você apoia a agricultura familiar local orgânica. ♥

“a saúde do solo, planta, animal e o homem é uma e indivisível” Albert Howard

Que trabalhamos com orgânicos você já sabe, agora quais são os benefícios e porque você deve consumir alimentos orgânicos?

 

10 Bons motivos para adotar os orgânicos

 

1-    Precaução: Você evita correr o risco de qualquer problema de saúde causado pela ingestão de substâncias tóxicas. Algumas pesquisas indicam que resíduos desses produtos podem estar relacionados a reações alérgicas, problemas respiratórios, hormonais e neurológicos e até câncer.

 

2-    Uma dieta mais nutritiva: Solos cultivados sem venenos e fertilizantes sintéticos garantem uma alimentação mais natural e com mais nutrientes.

 

3-    Sabor original: Quando consumimos orgânicos, experimentamos o sabor verdadeiro dos alimentos, sem interferência dos produtos aplicados na produção convencional

 

4-    Cuidado com nossos filhos e netos: As futuras gerações são as principais beneficiadas pelo sistema orgânico, já que ele zela pelos recursos naturais do planeta, minimizando os impactos ambientais, principalmente a médio e longo prazo.

 

5-    Garantia de um solo fértil: Técnicas orgânicas como compostagem e rotação de culturas evitam a erosão e conservam a produtividade e a riqueza do solo.

 

6-    Não poluem a água: Os agrotóxicos e fertilizantes altamente solúveis se infiltram no solo e chegam aos lençóis freáticos e aos mananciais, comprometendo seriamente a qualidade da água.

 

7-    Preservação da biodiversidade: A riqueza da vida no planeta é fundamental para o sistema orgânico, que busca sempre soluções capazes de manter o equilíbrio natural dos ecossistemas.

 

8-    Economia de energia: por abrir mão de produtos sintéticos que têm insumos como o petróleo e cuja aplicação exige intensa mecanização, o cultivo orgânico minimiza a dependência de energia não renovável.

 

9-    Fortalecimento das comunidades rurais: Parte significativa da produção orgânica vem de agricultores que visam o sustento de suas próprias famílias e comunidades.

 

10-  Certificação: Para ser considerado orgânico, o produto deve ter um selo fornecido por associações e órgãos certificadores que fiscalizam a produção e garantem a aplicação dos métodos estabelecidos para legislação orgânica



Fonte: Guia como produzir alimentos orgânicos --, 1 ed. - São Paulo: 2016